quinta-feira, 29 de maio de 2014

Inevitavelmente


 Inevitavelmente
Nada se cria, tudo se copia  
Aleatoriamente
Nada se escolhe, tudo se encolhe
E assim se colhe o fruto de cada dia.

Inevitavelmente
 Nada se evita
Invariavelmente
Tudo varia
 E assim se escolhe
De tudo um pouco da vida.

Mas que nunca varie a invariável
De evitar passar na sua rua, todos os dias
A caminho do trabalho, a caminho de casa,
A caminho do nada
Inevitável que não varie a decisão aleatória
De ler em seus textos, você, prosa colorida.

Inevitavelmente nada se cria
O meu amor piegas é!
Tudo se perde
 No exercício da não-escrita se pensar que invaria o já existente.
Tudo se transforma com o olhar estrangeiro
Tudo se copia colando do colega alheio
Hei de felizes sermos pra sempre!
E reinventarmos todos os dias o amor!
E lembre-se:
Sempre há uma primeira vez, vinda do coração.





Nenhum comentário:

Postar um comentário