segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Fotografia


Pare para que eu te mire
E a imagem não fique tremida
Sei que tu antes da retina vives
A beijar os cílios que dançam ao vento como fita

Luz fractal, densa, aurora boreal
Não posso te perder mais uma vez
É decepção de ser anjo sem asas
Fotografia que necessita voar pra ser revelada

Caminho aberto, morro agora
Senhorita da noite está a me esperar
Com a sua foto na lua
Pra quando eu chegar

Fotografia tirada...Ah! Fita amada!
Voa...Voa...Voa que eu te peço,
Na próxima vida eu revelo
O amor já revelado, nessa estrada.
 



Nenhum comentário:

Postar um comentário